Eu estou e sou assim… (risos)

Ah, para ter um efeito melhor, ouçam no disco 2 de Maricotinha, Maria Bathânia declamando este poema (show!):

" Apesar das ruínas e da morte

onde sempre acaba cada ilusão,

a força dos meus sonhos é tão forte

que de tudo renasce

a exaltação

e as minhas mãos

nunca estão vazias."

Sophia de Mello Breyner Andresen, Poesia (1944)

Viva forever

Eta, lelê!!!

Toda vez que ouço Viva Forever by Spice girls fico parecendo uma adolescentezinha de 14 anos… Meu coração se enche daquela vontade pueril de se apaixonar, de gostar de alguém e de, quiçá, encontrar o príncipe encantado.

Sei, sei… o tratado científico que Sherek I e II apregoaram pelo mundo comprova que todos os príncipes encantados na verdade só se olham no espelho e para o próprio umbigo… Creio no ogro do pântano capaz de se fazer um gentleman quando conveniente ( e ele ficou um gato!). Creio nos homens humanos NORMAISSSSSSSS, está certo. O Cavaleiro Inexistente também já me mostrou que nós, Bradamantes, só podemos ficar com os Rambaldos…

Mas permitam-me, permitam-me… Sonhar eu posso.  E , confesso com gosto de torta prestígio da Belle´s ou docinho de morango…confesso sim que já estou ouvindo a canção lá pela quarta vez agora e daqui a pouquinho vou ouvi-la mais uma vez …

Depois? Abraçarei meus quatro travesseiros deliciosos e dormirei como uma princesa.

Hum…

Sou uma menina, vou morrer com meus sonhos. Se não os realizar, farei bico, encherei os olhos de lágrimas e pensarei no colo e no cheiro de minha mãe ao abraçar , velhinha, meus ainda quatro travesseiros cheios de pena. Lembrarei o cheiro gostoso da mulher, talvez uterino, e a mão dela em meus cabelos quando me contava as histórias lindas em que eu me projetava e entendia que eu era a princesa e, por isso, seria feliz.

Alena  

Recadinho de Cecília


Ou Isto ou Aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Cecília Meireles