Mini conto de amor

Era sábado. O dia estava com aquele solzinho morno de inverno e azul límpido no céu. Eles caminhavam absortos em seu mundinho, partilhando as comezinhas historietas da vida privada. Entretidos, não chateavam com os quilos a mais que salientes pulavam para fora da calça vermelha dela. E ninguém se preocupava com a marca do tênis novinho que ele usava. A vida diária no papo, tão só: contas, questões, carro, empregada, planos para amanhã e para o almoço de logo mais. De repente… não, não havia uma pedra no meio do caminho: o cadarço dela desamarrou. Estancou rápida. Não praguejou.

Ele prontamente se abaixou e amarrou os laços que talvez naquele instante tenham se estendido para uma vida inteira.