Acalento-te…

Olhos que se perdem no infinito,

a sombra perpassa tua história

e tu pensas: o que fazer agora?

Se vislumbras outros caminhos,

há então pedras que te amarram ao passado.

Já não caminhas, talvez arrastes a sola cansada.

Há outros horizontes

talvez maiores ou melhores do que a nesga de céu que

tu podes ver agora.

Para enxergá-los, tu não precisas, olhos meus de oceano, de ninguém.

Precisas de que tuas pálpebras se fechem,

de que teu coração se sinta,

de que tua voz te fale e

de que possas , enfim,

ouvir quem és tu.

________________________

Alena Cairo 23h13

04/07/2006