Gosto de sábado

O poeta já cantou que logo cedo a gente vai ‘sentir preguiça no corpo’ e estirar a coluna, as pernas e os dedos até deliciosa e lentamente encontrar a doce vontade de levantar … não sem antes beijar, abraçar e beijar e abarcar a felicidade inteira de estar com quem se ama.

Um desjejum com fruta doce, pão de linhaça torrado com manteiga, vitamina, granola, iogurte, mel… café e leite. Depois mil beijinhos de despedida na porta até o meio-dia, quando o sol de Salvador castigava os mortais e azulava mais ainda o mar imenso. Vinícius cantava para o casal a caminho da praia. A maré estava cheia como a Lua de ontem à noite e a areia fofa convidava ao descanso regado a cerveja e acarajé com pimenta. 

A tardinha ia chegando e a moqueca de camarão borbulhou convidando ao degustar com a cerveja estupidamente gelada… O restaurante acolhedor, a simpatia do pessoal… Tantas palavras o dia inteiro, tanta conversa … aqui e ali um suspiro de futuro, quem sabe? “O presente é tão grande, não nos afastemos, não nos afastemos muito. Vamos de mãos dadas”.

A noite já trazia a Lua ao voltarmos à casa onde o cheiro dos corpos banhados convidaram ao acasalamento. E veio a paz, o silêncio e o sono.

Anúncios

4 comentários sobre “Gosto de sábado

  1. Que delícia de dia, Alena, delícia. E o presente é mesmo muito grande, já dá pra gente se perder e se achar nele sem inventar viagens maiores. Beijos.

    ________________________________

    Amém, amém. Toc, toc, toc.

    Beijos, amiga!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s