As pedras que sonham sozinhas

Hoje para mim é tão claro que os casais que discordam tanto e tanto e tanto não trazem geralmente mais sequer resquícios de amor. Pensam que se amam (ou se enganam) e, por comodismo, se mantêm juntos. Na verdade, estão é descobrindo, a cada dia, as suas incompatibilidades que se traduzem em agressões e farpas que todos podem ver claramente.

Não dá para pensar em amor quando só há prazer em culpar o outro, em agredir, diminuir, humilhar publicamente. E ainda tem gente que está assim na fase de namoro e noivado… imaginem!

A receita é tão simples: quando a gente ama, cuida, quer ver feliz, quer fazer o bem.