F a c u l d a d e d a Felic IDADE

Assim eu li na traseira do ônibus no bem apregoado busdoor: F a c u l d a d e  d a  F e l i c i d a d e.

O slogan diz: On de ser fe liz é u ma con quis ta da me lhor i dade.

Achei interessante a proposta e fiquei imaginando os velhinhos como minha avó para quem a  vida já perdeu o sabor há muito… Seria uma renovação geral de propósitos, um estímulo, uma injeção de qualidade de vida, alegria, amizades.

Até então, tudo bem, tudo muito interessante… Mas me intrigaram os ‘modelos’ da propaganda. A faculdade  fica aqui no Rio Vermelho em Salvador, nesta Bahia tão negra que conhecemos. Estes alunos virão dos países nórdicos para cá? Ou é mais um deslize dos publicitários que julgaram que a classe que ainda pode pagar por estudos e atividades nesta idade é ‘branca‘ (44% da população de Salvador vive abaixo da linha da pobreza)? É um caso (re)’velado’ de preconceito? Deslize? Banco de imagens?

Anúncios

16 comentários sobre “F a c u l d a d e d a Felic IDADE

  1. Se a intençao nao era essa a mensagem passada realmente parece ligada ao preconceito, ou pelo menos uma “gafe” tremenda da qualidade do trabalho de quem elaborou a campanha! Quem trabalha com publicidade e propaganda tem que ser um pouco psicologo e sensivel as pessoas e a tudo o que lhe cerca. Tem que entender o mundo nas entrelinhas, e isso faculdade nao ensina. Competencia tem a ver com inteligencia e inteligencia significa mente aberta, livre de preconceitos.
    Marta

    ___________________________________

    Desconfio que o objetivo é o público-alvo mesmo… Creio pouco na inocência, mas que ela existe, ah, isso existe !

  2. Os ditos publicitários sabem muito bem o que estão fazendo, sem essa de inocencia, essa palavra a muito não é usada nos meios onde corre rios de dinheiro, como o é na propaganda. E outra, estamos todos cansados de saber que na Bahia, terra negra assim como em todo o Brasil, o preconceito corre velado, escondido das vistas, mas sendo perpetuado por todos, mesmo que inconcientemente, logo, lutemos contra nossos próprios preconceitos.
    salve, salve. o blog ta ótimo, vou virar frequentador.

    beijo.
    Daniel de Bh.

    ___________________________________________

    Exato!

    Volte sempre! Será bem vindo!

  3. Engraçado, a faculdade da felicidade funciona aqui nas instalações da FTE. Curioso o seu comentário Alena, não tinha percebido. Com certeza o objetivo foi atingir o público certo. Eles não são bestas 🙂

    _______________________________________________

    Quer dizer que está por aí? Pela FTE? Fazendo o quê? Dê notícias. Beijocas!

  4. Olá
    Eu acredito na igualdade de imagens, por isto mesmo estou escrevendo neste momento. Tive oportunidade de conhecer a idealizadora deste trabalho da terceira idade e absolutamente ela nada tem de preconceituosa ou mercenária. É um trabalho belíssimo de socializar aqueles que de um modo geral é tao menosprezado pela sociedade e pela família. Agora eu pergunto: ao invés de ficar conjecturando sobre uma fotografia, você se reconhece com alguem que acolhe e cuida dos seus que estao na terceira idade? acho que esta pode ser uma boa reflexão, um abraço.

    _______________________________________________________

    Querida, o objetivo do texto não é fazer (auto)reflexão sobre os meus velhos, embora eu a tenha feito. Não DISSE que a IDEALIZADORA ou a FACULDADE DA FELICIDADE é mercenária. Questionei a publicidade. Ler a imagem em Salvador a torna descontextualizada. Discorda? A minoria absoluta da Bahia teria uma imagem correspondente à do Busdoor. Os velhinhos parecem saídos da Europa… não desta nossa Bahia, tão parda ao menos.

    Será interessante que escreva mais sobre a faculdade, se quiser, posso colher os depoimentos de vocês para publicar aqui. Acho ótimo que venham falar do projeto.

  5. Sou psicopedagoga, e conheço este projeto de tão grande valor de perto. O projeto está aberto a todos e existe uma equipe de médicos, pisicoterapeutas, fisioterapeutas, psicologos, gerontólogos e muitos outros trabalhando a auto-estima, ajudando estes idosos a re-escrever suas vidas, portanto independente de imagens e cores e raças, o que realmente deveriamos era aplaudir esta mulher que com muita coragem acolheu e adotou como seus muitos idosos sofrendo absoluta síndrome do ninho vazio.
    Realmente Alena, críticar é algo muito fácil de fazer, o que realmente é difícil, é aceitar os seus como realmente seus. Reflita
    _____________________________________________________

    Ei, Patrícia, leia com atenção. A crítica não foi vazia e nem foi fruto de conhecimento da faculdade em si, do seu trabalho, mas claramente à propaganda. Há uma ironia no texto, perceba: Salvador é umA CIDADE NEGRA. Ainda ressaltei que achei interessante A EXISTÊNCIA DESTA FACULDADE e citei minha avó como exemplo de vida que precisaria ser melhor preenchida e fazer faculdade se colocaria como uma ótima opção para ela e outros muitos. No último parágrafo do texto, observe, eu questiono, não afirmo. Acho muito bom você que parece ter conhecimento do trabalho vir aqui comentar e esclarecer, mas convenhamos, os publicitários erraram feio.

  6. É entendo a critica de todos referente ao busdoor, acredito que realmente foi um deslise do publicitário na escolha da foto, mais a proposto não foi essa. A foto fez referência a “Faculdade da Felicidade”, -Felicidade-, é sempre bom conhcer a proposta das informações que são inseridas na mídia ante de pré julgar.
    Infelizmente nós seres humanos sempre fizemos pré julgamentos.

    _________________________________________

    Prezado Karl Lihmey,

    não é uma questão de julgamentos precipitados. A análise foi textual. Refere-se ao texto não verbal, ao verbal a ele associado e ao que propõe.
    Obrigada pela participação.

    Alena Cairo

  7. Fui aluno da Faculdade Livre da Terceira Idade de onde a professora Maria Lucia Palmeira tirou todas as idéias para levar para a Faculdade dela.
    É uma pena que ela tenha saido da Faculdade Livre da Terceira Idade da querida professora Olga Mettig e ter levado suas idéis e propostas inovadoras para uma outra Faculdade.
    Profa. Olga Mettig que foi a pioneira desta proposta e que idealizou uma Instituição que pensasse na integração social e econômica da melhor idade na sociedade, agora sendo copiada e modificada como uma cópia.
    O anúncio relamente é um dispropósito e altamente preconceituoso como se, no Brasile na Bahia, não tivéssemos exemplos de “senhores” com saúde e disposição. Não justifica usar uma imagem de um banco de imagem somente para baratear custos publicitários e colocar uma foto que não tem contexto social do local. Profa. Lucinha, não foi isso que a Sra. aprendeu com Olga Mettig, a pioneira, ética e querida idealizadora da Faculdade Livre da Terceira Idade que lhe convidou para dirigir a faculdade por tanto tempo e, de repente, sai sem dar esclarecimentos e leva as idéias e ainda fica disseminando calúnias sobre sua saída e dizendo que a Faculdade da Felicidade é uma filial das Olga Mettig.(www.famettig.br)

    ________________________________________________________

    Prezado Nelson Cabral,

    eu não sei absolutamente nada sobre estas questões que você aqui aborda. Meu comentário foi sobre a foto publicitária que, convenhamos, realmente não tem nada a ver com o nosso contexto social geral. Principalmente se considerarmos o veículo de publicação: o busdoor. Quanto à sua fala, nada tenho a declarar em relação às demais questões. Não conheço a idealizadora do projeto e, honestamente, acho-o superválido, gostaria de ver a minha avó participando de atividades como esta.

    Grata pela participação no blog

    Alena Cairo

  8. Tomara que eu tenha a oportunidade de conhecer o projeto, quem sabe, trabalhar lá. Adorei a posição esclarecedora de muita gente que veio aqui para falar sobre o projeto. Mas retomo e enfatizo: eu não falei sobre o projeto. Falei só sobre a propaganda.

  9. Olá,eu sou fisioterapeuta,trabalho com pacientes geriátricos e estou concluindo uma Pós Graduação,na qual escolhi como tema da minha monografia As Faculdades Abertas para a terceira Idade.
    Gostaria de saber onde posso ter acesso a bibliografias sobre o tema acima referido.
    Aguardo resposta.
    Atenciosamente,
    Patrícia Duran

    __________________________________

    Patrícia, este não é o espaço adequado para sua busca.

    Abraço

    Alena

  10. Nossa, fiquei encantada com a proposta dessa Faculdade… Acabei de fazer 60 anos e ficaria muito feliz de poder participar, moro tão distante… Será que haveria chance pra mim???
    Agradeço a oportunidade.
    Abraço.

  11. Ué, e tem alguma mentira nisso? A maioria da população de Salvador é NEGRA E POBRE. Ninguém espera encontrar idosos negros e pobres fazendo umas atividades assim. Os coitados mal tem onde morar e o que comer.

  12. É com tristeza que vejo e ouço comentários enxergando preconceitos num país (e numa cidade) constituído em sua grande maioria de pessoas com uma mistura genética que faria inveja a qualquer banco de dados de laboratório. Me pergunto por vezes se não serão essas pessoas que vêem o preconceito em todos os lugares os maiores preconceituosos?, A faculdade é uma realidade e se propõe a ajudar sem importar quem seja, ou será que querem que esta feche alegando coisas que não são a realidade?

  13. Tenho 62 anos, e gostaria muito de in formações a respeito,fiquei muito interessada.
    Por favor gostaria de ter o telefone para melhores esclarecimento
    atenciosamente
    Elizabeth

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s