São João

Em 2005, tive a oportunidade de passar o São João em São Paulo. Nunca vi nada mais triste. Simplesmente, fiquei a ver os tons de poluição ( lindos ) enquanto o sol se punha. Nadica de forró, nadica de festa. Depois é que eu descobri que os nordestinos do Brás faziam a maior festança.

Que saudade então do meu Nordeste.

Ano passado, estive em Salvador, mas no auge de uma deprê, resolvi ficar quietinha em casa sem muitas peripécias. O máximo que arrisquei foi ir à fazenda de meu primo em Pojuca.

Neste ano, ainda não sei o que virá. Mil festas e animação, mas São João que vale é acompanhado. É a festa mais namorado que existe. Dançar com qualquer um não faz o meu estilo. Delícia mesmo é estar acompanhada do amor no friozinho dos interiores da Bahia a comer milho, amendoim e a tomar licor enquanto os fogos espocam no ar.

Ano passado, fui ao Pelourinho e ele estava lindinho com esta decoração: meio São João meio Copa do Mundo. Os bonecos gigantes estavam uma gracinha. Amanhã de manhã, se fizer sol, vou ao Pelourinho tirar umas fotos, ver se a prefeitura cuidou de decorar o espaço para os festejos juninos neste ano.