Corre, vamos comer a lambretinha!

 

Vira e mexe eu escrevo aqui que a vida vale a pena porque existe lambreta para se comer na Bahia. E a cabana do João ou da Cely são os lugares mais propícios, além do Papito, para se provar esta maravilha da natureza que nem entrou em lista de votação nenhuma – talvez porque já tenha recebido o título outrora (risos).  Diante de tanto dendê e calorias, a lambreta é um prato light: cozida apenas com tempero verde e muita cebola e alho. O caldinho fica sensacional e um bom azeite português é o acompanhamento perfeito, além da cervejinha gelada, claro.

Há quem prefira o vinho branco, mas em termos de vinho as casas da Bahia deixam muito a desejar e é difícil encontrá-lo nos bares. Há ainda a opção da roska de frutas… mas aí já e outra delícia, motivo para outro post posterior.

Pois bem, na última peripécia com a minha amiga paulista, levei-a a conhecer a lambreta e ela comeu que se fartou. Uma foto para os leitores que vivem a perguntar o que é lambreta (não, não é a motocicletinha que fez tanto sucesso):