Só é gordo quem quer

Acabei de ler o já antigo só é gordo quem quer. Muito matemático, repleto de tabelas… combina daqui e dali e, se você faltou às suas aulas de biologia ou não suportava aquele livro todo-em-preto-e-branco de Sônia Lopes da década de 80, esqueça. É muito glicídio e caloria para lá e para cá. Vai queimar mais neurônios que gorduras. Algumas charges são ótimas e o apelido Dona Redonda e Dona Fininha para os nossos cardápios são engraçados. Umas dicas aqui e outras ali valem a  pena, mas, no todo, não gostei.

Quem quer emagrecer deve buscar métodos mais fáceis: tipo vergonha-na-cara.  🙂

Se quiser um feliz ano novo…

… lembre-se de que estamos em setembro, ou seja, hora de projetar o que se quer para 2008. Sim, porque a listinha que aparece em dezembro é enorme, do tipo “as 100 coisas que eu quero no ano novo”.  Sai  matéria desta natureza em todas as capas de revistas. A retrospectiva também ocupa lugar de destaque na mídia e na agenda pessoal. As igrejas, os centros e os terreiros lotam e aí as pessoas passam o ano inteiro a esperar que algo aconteça.

Resolvi planejar meu ano novo. Nada de planos mirabolantes, mas aquelas coisas palpáveis que quero ter e ser. A retrospectiva já está realizada. O saldo já foi visto. As lacunas, eu as conheço todas. E os desejos também.

Então resolvi fazer com que o último quadrimestre fosse diferente, antecipar a véspera do peru… fazer com que o final fosse o início… inverter a ordem das coisas (isso eu adoro!)… transformar o presente no futuro janeiro-fevereiro-março-e-abril.

Na primeira quinzena de setembro, hora de fazer balancete mesmo. De tudo: finanças, realização pessoal e profissional, cursos, pendências, problemas a resolver, dieta , quilos a perder, músculos a construir, compras, os laços afetivos… Perdas e ganhos apurados, um projeto então nasceu.

E agora, desde ontem, a parte melhor já começou: AÇÃO para trasnformação.

Vamos ver no que dá.