Tudo melhorou

Meu pc continua uma droga. Só golpe no país ‘em desenvolvimento’ : o Uol cobra dois reais por hora de acesso à internet discada. Em apenas 48h , vc já deve 96 reais para acessar uma droga de site que não resolve o seu problema com a m… da placa-mãe. Seus arquivos baixam na maravilhosa velocidade de menos de 56 kb s.

* * *

Tudo está melhor, afinal, sábado fui finalmente à praia e domingo choveu, mas eu comi lambreta e caranguejo na Cely. Depois, à noite, tomei banho de chuva e de piscina. Love, love.

Férias frustradas

Você viaja com a grande família (dele), leva suas trezentas e oitenta e nove coisas indispensáveis (do desktop ao abridor de coco)  para passar um mês ou dois na casa de praia e na primeira semana já está pensando no que foi que decidiu fazer… no porquê de ter carregado este pc… no porquê de ter parado com sua dieta… no porquê de ter resolvido trocar a filha da p… da placa-mãe do seu computador …  no porquê de não estar de férias num spa.

Seu trabalho a convidou a comparecer trezentas vezes na semana, o pc deu mais trezentos problemas, na casa a que você foi nem sombra de velox, a internet discada é pré-histórica, seu dinheiro foi para as cucuias, tem mais trezentas contas para pagar, engordou um quilo, não foi um dia sequer à praia, estressou-se todos os dias, foi a Salvador todos os dias também, foi a cinema que não queria, comeu porcarias (leia-se guloseimas), não trabalhou, não leu nenhum livro, nenhuma revista… e você ainda ouviu o que não queria.

A melhor enquete de fim de ano

A melhor enquete que vi neste fim de ano. Qual celebridade você não agüenta mais e de qual delas não quer ouvir falar em 2008?

A-d-o-r-e-i.

O equívoco já começa ao considerar a tal ‘carangueja estafanagente’ como celebridade (até desenho em versão  infantil a fulana lançou). Se o Bebebe é padrão de imitação popular, valha-me  que eu vou embora para Marte. Nesta seqüência, o tal ‘alimão’ é o que há de pior. Me deixem. De Paris, Britney, Tom, Angelina, Piovani(???) e cia… arght! ô timinho que arranjaram. Mas, para mim, honestamente, a tal Siri é a pior. Do sorrisão do Tom Cruise eu ainda não me cansei, embora do ativismo dele sim.

E vocês? Cansaram também?

Ainda os livros

Categorias:

Livros que eu amo

Livros que eu preciso

Livros com que eu trabalho

Livros que marcaram minha vida

Livros que eu ganhei do autor (como dá-los se há autógrafo e carinho ainda que nem sempre haja qualidade?)

Livros que eu ganhei de amigos (de novo: como dá-los?)

Livros de grandes autores (um de Gil autografado…)

Livros que eu ainda vou ler

Livros moderníssimos

Livros de viagens com fotos de lugares e histórias de onde pisei

Livros para rir

Livros para chorar

Livros para reler e reler e reler

Livros técnicos

Livros irreverentes

Livros de Literatura Brasileira

Livros de Literatura Portuguesa

Gramáticas de toda sorte de autores

Minidicionários diversos

Livros sobre Jornalismo e Mídia

Livros sobre Filosofia

Livros sobre Direito

Livros de Literatura Caboverdiana

Literatura Infantil

Literatura Juvenil

Livros de poemas

Livros de crônicas

Livros de contos

Livros de meus autores prediletos

Meu livro

De livros e amores

Quando você constata que é mais fácil jogar fora antigas cartas de amor que doar seus livros… tem que tomar uma séria providência: ou muda de casa e faz uma biblioteca gigante ou … ?

Não consigo pensar na opção.

* * *

Separei alguns livros para doar (e eu faço isso sempre), mas todos os anos minha estante vai ficando mais gorda.

* * *

Há sete anos, decidi que cinco estantes virariam três. E era uma vez mais de trezentos livros que doei para uma universidade particular de Salvador. Neste ano, fui à Universidade Federal com a mala de um corsa sedan(leia-se enoooorme mala) abarrotada de livros do curso de Letras. A funcionária me mandou listar todos e fazer a catalogação senão ela não aceitaria a doação porque daria muito trabalho a ela. (?!?!?!?) Percebeu o que eu fiz, né?

Na época, não tinha blog e os jornais de Salvador eram (continuam) fraquíssimos. Rumei para a particular e fui recebida com cadeira, cafezinho, diversos homens para carregar as obras que foram devidamente acondicionadas na biblioteca. Recebi uma carta de agradecimento e muitas mesuras. Certamente, muitos estudantes de Letras puderam folheá-los.

* * *

Não gosto de vender os livros em sebos. Sempre pagam muito menos do que valem. Mesmo que seja uma cópia velha de alguma adaptação de Cervantes para a 5a série, não consigo imaginar que me pagarão R$10,00 ou R$1,00 por ele.  É uma afronta. Como se dissesse: isso não vale nada. Para mim, Literatura não tem preço. Então, prefiro doar. De graça combina mais com a questão da arte: a arte que não tem preço e é atemporal. A arte da palavra.

* * *

Todos os anos, desde então, costumo recolher muitos livros [de editoras, mais os que ganho para analisar (e não gosto) junto aos que já vão perdendo lugar no meu dia-a-dia (tipo os juvenis que são adotados nas escolas no ensino fundamental) ]  e fazer as doações de caixas e mais caixas para bibliotecas de localidades carentes.

Sei lá: é aquela vontade de que mais crianças e adolescentes se sintam apegados como eu.

* * *

Há cinco anos, decidi que três estantes virariam duas. E fiquei com duas e meia por todo este tempo. Agora quero uma e meia. Mas não consigo emagrecer de jeito nenhum as benditas.

* * *

Não há como a gente se desapegar do amor ao livro. É por isso que, mesmo lendo muitos e-books e guardando arquivos gigantes em meu pc, eu não acredito no fim do livro impresso. Não para a minha geração.

Detalhe: toda vez que eu emagreço a estante é para convidar as novas obras a entrarem em minha vida.

* * *

Detalhe 2: tanta reclamação e eu aqui já fazendo a listinha de Natal dos livros que quero ganhar e daqueles que vou comprar sem falta.

🙂