Gente sem noção

Parte IV

Personagens: eu e minha irmã mais dois bebês…

Cena: váriiiiiiaaaaaaas noites sem dormir, mal dormidas e tal. Sexta-feira. Nenhum compromisso médico. Nenhum compromisso no supermercado. Nada a fazer fora de casa. Ufa!

Tempo: Acordadas desde às seis, dando mama desde então, revezando o seio… olhamos para o relógio e percebemos que são 10h51 quando ambos os bebês dormem… afoitas, concluimos: vamos dormir! Ao menos até às 12h.

Conflito: O telefone toca e as visitas do interior (PARENTES) estão chegando…

Conflito 2: Dá 11h48 e as visitas dizem que passaram “ali” e vão chegar daqui a pouco… Toca a esperar.

Conflito 3: Na próxima gravidez, guardar grana suficiente para passar todos os meses de licença na Polinésia Francesa sem celular.

Gente sem noção

Parte III

Ao telefone…

– Alô ? Como vai? blá blá blá… patati patatá…

– nhenheném…

– Olha, filhas, aproveitem que estão de licença (minha irmã e seu bebê de dois meses está aqui em casa comigo ) e coloquem a perna para cima, descansem, relaxe…

Aí eu me estressei e respondi:

– Relaxar? Colocar a perna para cima? Rá! Você não tem noção. Sente um dia inteiro aqui em casa para apreciar como é cuidar de um bebê e venha ver qual é o tempo que se tem para pôr as pernas para cima…

Gente sem noção

Parte II

Cena:  Aniversário da bisa. Mamãe não queria ir, mas não houve jeito. Então, mamãe me pôs no colo, enroladinha na manta e prometeu não me largar um minuto sequer. Logo na entrada, a empregada da bisa, que estava com a mão suja de glacê de bolo e sabe-se lá mais o que veio descobrindo a manta para me ver… Mamãe deu bronca e pediu para não pegar (com delicadeza) porque eu só tenho 15 dias e estou gripadinha (devido às visitas gripadas).

Em seguida, todas as velhinhas da festa quiseram me carregar… com suas mãozinhas de empadinhas, saltenhas e tortas… bem sujinhas… mas não faz mal, elas não entendem que eu só tenho 15 dias e então alisam meu cabelo – como se eu não tivesse mais moleira – pegam no meu narizinho, no meu queixinho e alisam a bochechinha…

Não tem jeito. De forma deselegante a tia-bisa e a bisa exigem me pegar no colo e mamãe dá logo antes que elas morram e mamãe fique com culpa, tira uma foto relâmpago para registrar e TEM VONTADE DE tomar um banho de álcool, SE TRANCAR PARA SEMPRE EM CASA E NUNCA MAIS VER AQUELE POVO PEGAJOSO todo… Tem jeito não…

Gente sem noção

Parte I (minha irmã ao telefone com a cicrana)

” – Alô ? Oi, tudo bem?

– Tudo…

– Olha, eu vou passar aí agora com fulana…

– Não, dona Cicrana, não venha agora não que a gente não almoçou, não deu banho nos bebês e ainda tem que ir ao médico rapidinho (eram 13h38).

– Ah, só vou se for agora… então não visito… que horror, quero que minha amiga do interior veja o bebê e se não for agora ela só vai ver quando voltar (tom zangado).

– Venham cinco da tarde, a gente faz um lanche e os bebês estarão organizados…

– Não. Só vou agora.

-… … … então tá.”

Cena : as cicranas (parentes) chegaram, minha irmã amamentava seu bebê, eu amamentava a minha enquanto almoçávamos com olheiras enormes, desanimadas e usando apenas uma mão para comer.

Resultado: não conseguimos ir ao médico, o banho das crianças foi dado no início da noite e não descansamos um minuto sequer.