Amamentar

Para amamentar, a mulher precisa entender o significado de três palavras:

ABNEGAÇÃO

PERSISTÊNCIA

e

INSANIDADE.

* * *

Esqueceram-se de dizer aos bebês que as mães não são extensões de seus corpos (embora também o quiséssemos ser).

Esqueceram-se de que a mulher era um ser VERTEBRADO ao torná-la um mamífero. Mãe não tem coluna. Decididamente.

Esqueceram-se de que a mulher dorme. Quem foi mesmo que falou em OITO horas de sono ? ? ?

Quem inventou leite em pó ? Só pode ter sido uma mulher… Ou um homem com uma extrema compaixão. Um santo.

A humanidade sobreviveu porque era tribal. Sim. Isso significa que havia rodas de mulheres e que , em grupo, elas amamentavam seus bebês. Ou seja: havia auxílio, rodízio, conselhos e ensinamentos.  É . Porque esta história de mulher pós-moderna não cola. Mulheres independentes , que vivem só, auto-suficientes e coisa e tal… com um bebê ficam malucas.

A imagem que eu tive do fato de sermos mamíferos: uma porca no chiqueiro. Juro. A porquinha fica lá, sem tomar banho, sem escovar os dentes e sem pentear os cabelos, comendo ração e esperando , deitada, que os filhotes venham mamar. Qualquer semelhança é mera coincidência.

Ah, perdão: as porquinhas ficam deitadas… as mulheres têm mil coisas a fazer em casa. Sentam, levantam, abaixam… tudo, menos deitar.

Só me lembro da Cam Seslaf, no período de amamentação da Catarina, dizendo que só fazia mandar vir os elásticos de prender cabelo da farmácia pelo Manfriend.  Isso significa em bom tom: nada de salão, nada de lavar toda hora, nada de pintar, escovar, nada de arrumar-se, nada de enfeitar-se, nada de ser mulher… ao menos por um tempo.

Eu não posso reclamar muito embora tenha ficado 48 horas no ar, com a bebê conectada ao seio, acoplada, mamando sem conseguir sugar direito.

É que uma santa veio parar aqui em casa: minha irmã, ILANA, está amamentando meu sobrinho de quase três meses… e minha filha também. Que ajuda! Tenho certeza de que tenho sorte na vida mesmo.

Ainda há quem pense que é um ABSURDO a mulher ficar de licença por “tantos” quatro meses (agora seis) , em casa , “sem fazer nada“… Não vou nem mandar recado para estas pessoas. Vocês sabem o que dá vontade de dizer a elas.

* * *

Ser mãe e MULHER no primeiro mês é IMPOSSÍVEL. INCOMPATÍVEL. E eu estou sentindo muita falta de ser mulher.

* * *

De tudo de ruim do pós-parto, eu achei o pior o afastamento do marido. Que saudade do tempo antigo! Que volte em breve a nossa paz para dormir.

* * *

Ela tem a mania de cheirar o bico do  seio e se derreter num sorriso absurdamente lindo quando sente o cheirinho de mãe… É por isso que amamentamos.

UPDATE
P.S.:  Alice tem 1 ano e 1 mês e eu ainda a amamento. Hoje é uma delícia porque é  um ato de amor, não mais a escravidão animal que me foi legada.  set 2009

Anúncios

13 comentários sobre “Amamentar

  1. deve ser por isso q falam q ser mãe é padecer no paraíso.
    se tu tiver com o bico rachado me avise, minha irmá trouxe dos USA a pomada aquela milagrosa que aqui é suuuuuper cara, eu peço emprestada pra ela ok?

  2. Aff… Não sei! Não sei o que dizer, eu não pretendo ter filhos… Pode ser lindo, pode ser maravilhoso, recompensador e etc e etc… Mas não pretendo.

    Confesso, acho lindo ver uma mulher amamentando, mas não me vejo no papel de mãe. Prefiro ser Tia.

  3. Alena, eu tava justamente agora vendo os arquivos do meu blog da época em que meu filho nasceu (jun/2007). E fico vendo como foi difícil, como foi complicado pra todos nós. O ALexandre não mamava direito, ficamos tentando fazer com que ele acertasse a pega por muito tempo e ele só começou a ganhar peso além do peso do nascimento (que ele recuperou numa boa) por um mês. E dá-lhe choro. Fora as cólicas, fora minha casa que não era entregue e eu estava morando em um apartamentico com três gatos que circulavam entre nós porque contávamos com a casa, onde eles teriam a área deles. E as famílias – minhas e do marido – distantes.
    QUando a coisa ficou insustentável o pediatra finalmente indicou o complemento, que comecei a dar com muita culpa, chorando horrores. Mas o Alê foi engordando, aprendeu a mamar direito, dormiu melhor e, para minha felicidade total, abandonou a mamadeira ao fazer seis meses. Passou a mamar exclusivamente em mim, só vez ou outra tomava um pouquinho a mais do Aptamil (o NAN ele tomava, mas prendia o intestino). Mamou até fazer um ano, não consegui continuar porque meu leite diminuiu muito quando voltei às aulas na faculdade e ao trabalho (não conseguia tirar leite).
    Então, nesse momento dureza mesmo, eu só tenho uma coisa pra te falar – e espero que ela dê algum tipo de conforto, porque é de coração mesmo: vai passar essa fase mais difícil. As visitas sem noção, o cansaço, o horror de perceber que você não é muito mulher nesses dias, só mãe. Tudo passa, e prometo que tudo se ajusta melhor, logo logo vai ficar mais e mais gostoso ter a bebezinha pra cuidar. Mesmo que seja no meio de todo o fuzuê que faz parte da nossa vida.
    Um beijo nas duas!!!

  4. Força aí, Alena.
    É uma barra, mas no fundo é bom à beça, e essas pirambeiras de amamentação melhoram com o tempo – acredite. Depois, quando entrar nas papinhas, horário de almoço, frutinha, lanchinho, jantar, tudo com hora marcada, você vai morrer de saudade do tempo da amamentação exclusiva.
    E em relação à gente sem noção: zarabatana neles! Mande o boa educação para a pqp e mande essa gente pastar. Mães amamentando são como velhos: podem falar qualquer atrocidade, que as pessoas relevam – culpa dos hormônios, afinal.
    Beijão em você e na fofa.

  5. Nossa, é bom ter um relato tão fiel e verdadeiro assim, do diário de uma mãe. Afinal, para quem ainda não passou pela experiência, como eu, é um quadro dissonante esse relatado por você e aquele que vemos nas campanhas publicitárias a favor do aleitamento materno.
    Assusta um pouco essa “história real”, mas prefiro saber a verdade: que o Natal é legal, a gente ganha presente, mas que Papai Noel não existe! (risos).
    Sério mesmo, obrigada por não “florear” esse momento, apesar de maravilhoso (com certeza!). Como mulher que pretende ser mãe um dia, agradeço de coração! Muitas devem se sentir culpadas e confusas em seus sentimentos nesse momento novo da vida, então é consolador o seu depoimento.

    Bjs pra você e sua menininha linda, muita paciência e força!

  6. Ai Alena, eu sei que não tem graça nenhuma, mas quem já passou exatamente pelas mesmas coisas (duas vezes) e sobreviveu não pode deixar de dar um sorriso ao ler este post. É desesperador mesmo, em vários momentos, várias vezes ao dia. Mas (clichê dos clichês) passa. As coisas vão melhorando com o passar dos meses.
    Força aí querida, um dia vc ainda vai rir disso tudo (eu sei que agora só dá vontade é de chorar).

    beijos

  7. Vim fazer eco à Anna V. e à Meg. Tem (muitas) horas que é *desumano*, mas um belo dia tudo se ajeita.
    Eu reconheço as minhas limitações e sei que não teria conseguido sem a ajuda de uma enfermeira à noite nos primeiros quatro meses. Assim dava para dormir umas duas horas e pouco por vez. Durante o dia ficávamos as duas sozinhas, e quando dava 18:00, eu já estava rastejando e rezando para a Leide chegar logo.
    Quanto a isso de não ser mulher, é a pura verdade. Para mim, durou um pouco mais que o tempo da amamentação exclusiva. Só voltei a fazer as unhas quando ela tinha seis meses, me sentia um lixo o tempo todo. Agora não está tããão melhor assim (rs), mas eu me conformei que isso faz parte da minha refundação. E sei que quando ela estiver maiorzinha e mais independente terei um tico a mais de tempo para mim. E para o pobre do pai dela.
    Força, querida. A gente sobrevive.

  8. professora!concordo com todas suas falas!eu me olho no espelho e não vejo mas uma mulher,meus seios estão feridos e doloridos..
    Dormir!!ai que sonho…não sei o que é uma noite de sono a semanas!E AINDA ME FALAM QUE É PARA APROVEITAR QUE EU N TO FAZENDO NADA!
    mal tenho tempo para comer e tomar banho!
    mas quando aquele olhinho se bate no meu!me dereto em lagrimas…
    boa sorte pró,paciência,perseverança pois como dizem isso passa(eu não vejo a hora de passar)
    abração
    sua filhinha é linda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s