Critica quem pode…

Sempre que se vê um bebê na rua, ouvem-se muxoxos: “tão pequenininho…”, “eu, heim!”, “mãe desalmada!”, “coitadinho… tão novinho e já na rua!”

Fale quem puder, mas quem não tem filho, toma cerveja regularmente e está com a vida, digamos, ‘normal’ não tem o direito de dar palpite na saída de casa para respirar das mães que não têm com quem deixar seus filhos.

Alguém aí sabe o que é parto + apojadura + bebê recém-nascido + choros e mais choros + relógio biológico maluquíssimo + estar fora de forma + não ter nenhuma roupa agradável + não agüentar mais as quatro paredes ?

Ah, tá…