Um mês de mudanças

Hoje faz um mês que me mudei (de novo!). É que enquanto eu estiver sujeita a aluguel, creio que a itinerância será apropriada. Mora-se aqui, daqui a pouco ali… talvez acolá.

Já transportei para lá e para cá algumas vezes as tralhas que me acompanham pela vida. E tudo estava pronto sempre em pouquíssimos dias. Três dias era o meu prazo máximo para tudo estar um brinco. Mas ninguém me avisou que com bebê as coisas são diferentes, o processo é outro. E o fato é que acordei tarde hoje porque Alice me deixou dormir até às 8 horas e planejei fazer um monte de pendências da casa para ver se entrava em junho com tudo ok. Deu tempo de arrumar uns livros, colocar uns bibelots no lugar, pensar onde ficará o crucifixo e o sininho herdados, rever o que há em cima do criado-mudo. Quando  parei para olhar o relógio de novo, depois de ficar para lá e para cá com ela, era 22h03. E eu morta.

Que chegue junho então e que a arrumação não termine em setembro (ufa!).