Amanhã de manhã

Amanhã de manhã

Vou despertar tranquila e serena.

Esticarei os braços,

lânguida e nua de pensamentos que antes me sabotavam.

Esticarei as pernas

para ter a certeza de que posso caminhar.

Por isso vou desenferrujar

as minhas concepções de estrada.

Vestir-me-ei de mim mesma.

As possibilidades são minhas.

Conselho astral: a calhar

A Torre Fulminada

eliminando o que não serve mais

“O arcano XVI emerge como arcano conselheiro para este momento de sua vida, Alena, sugerindo que é chegado um importante momento em sua existência: o tempo para romper com tudo aquilo que não lhe serve mais e que você preservava apenas por manutenção de fachadas. Estas coisas que precisam ser eliminadas podem ser (e geralmente são) internas e têm a ver com hábitos, modelos mentais e expectativas falsas. Mas podem ser também relacionamentos falidos, projetos que não dão em nada, ou seja, qualquer coisa que não faz mais nenhum sentido em sua vida e que você talvez não tenha ainda a coragem de eliminar. Todavia, é preciso agir, caso contrário a negatividade se tornará pior. Enfrente com coragem este momento de varredura radical!

Conselho: A coragem é necessária para enfrentar problemas de difícil solução.”

Vid(inha)

Vid(inha)

– Nossa, mas você fará uma “festona” para sua filha?
– Sim, por quê?
– Isso é uma bobagem! Gastar dinheiro à toa.
– Mesmo? Você acha?
– Sim! Faça uma fest(inha) que tá bom. Ela nem vai notar…
– Será?

Era sim muita grana para uma mãe professora com salário de três dígitos apenas. Era sim uma “festona” com direito à decoração diferente, animação variada, muita guloseima e lembranc(inha), e com, até, o mágico mais famoso da cidade. Era sim uma festa de aniversário para 60 crianças e quase 100 jovens e adultos. Era sim uma comemoração dos sete anos de vida de uma menin(inha) linda, preciosa, única.

– Ah! Deixa de ser boba! Você pode gastar essa dinheirama com algo mais concreto.
– É?
– Sim, mulher! Coisas que ela precisa. Roupas, um brinquedo legal ou até guardar na poupança para quando ela crescer.
– Ah…

A histor(inha) acima ilustra a época em que vivemos. Mentira. Mostra os valores que cultivamos. Melhor dizendo, aponta para onde devemos olhar e crer. Festa é para quem tem cacau “sobrando”. Festa é “desperdício” de tutu. Quem nunca ouviu falar de meninas que trocam o tradicional debute por dinheiro? Sim. Fazer festa é gastar grana para “encher” a barriga dos outros. Deixa de ser boba… Aproveite SOZ(INHA).

Comemorar um aniversário “espetacular” é praticamente uma heresia para pobres e remediados – eta palavr(inha) feia e insensata! – pois é tido por um gasto com algo sem “utilidade”. Capital jogado no lixo!


– Pense bem quanta coisa você pode comprar com essa fortuna empregada numa fest(inha) de criança?
– É, poderia sim…
– Então! Faça um bol(inho) e chame uns amigu(inhos) que já está muito bom.
– Sei…
– Ela nem vai se lembrar disso depois. Pode apostar.
– Talvez…
– Vá por mim. Faça uns doc(inhos) e uns salgad(inhos), um enfeit(inho), uma vel(inha), uns balõez(inhos) e pronto!

Investir em sonhos, fantasia, afetos e bem-quereres parece cada vez mais um investimento arriscado e fora de propósito. Festão (para não ricos) está em baixa na bolsa de valores humanos. Ter a adrenalina do coração disparado durante um jogo com o palhaço; receber convidados, ter a companhia dos amigos, comer gostosuras, encher os olhos de beleza ao brilhar da purpurina, gargalhar perto de quem se ama, explodir de alegria por que um monte de gente veio ao seu aniversário parecem privilégio de poucos afortunados. Guardar na memória cheiros e emoções só a preços baixos.

Celebrar o aniversário é investir em acolhimento. É enaltecer um ser humano que nasceu e vive por mais um ano. É desprendimento e generosidade para com o outro. É cortesia. É reverência. Uma festa de aniversário grandiosa por parte daquele que não tem “sobrando” pode ser a tradução de uma mensagem cada vez mais difícil de repassar: não tenha uma vid(inha), você é importante tanto quanto outro qualquer.

Depois que o “big é big” pára cada um retorna ao lar e a aniversariante de sete anos, que mal se contém de felicidade, deita na cama com os olhos brilhando e diz “mamãe hoje é o dia mais feliz da minha vida”. E isso não tem preço. Ou melhor, custou uma dinheirama… Mas não em vão para quem pretende ofertar um “vidão” de afetos, amizades, vínculos, e valores; para quem talvez queira mostrar aos filhos que há valores mais abstratos (do que concretos em si) que valem o cultivo.

Não era uma fest(inha) qualquer, artificial, comprada, banal, e sim um festão construído pedaço por pedaço; pensado e preparado para ser o maior, o melhor, o mais bonito, o espetacular, simplesmente por que aquele dia era para dizer à filha quanto ela é única e merece aplausos. Muitos aplausos da vida.”

________________________________________________

Texto publicado em : http://criandoespacos.blogspot.com/2008/03/vidinha.html

Não é de minha autoria.

_________________________________________________

Já faz mais de dois anos e eu até hoje choro… eu amo este texto.

É oportuno para mim de novo. Estão todos tentando me convencer a não festejar a vida de minha filha, a não bater palmas para ela, a não bater palmas para mim, para os nossos, a não me encher cercada dos meus de alegria, eu que sou a mãe dela, que a amo tanto. Tudo porque fazer um festão é jogar dinheiro fora, encher a barriga dos outros. Que outros são estes? São as pessoas que me são caras, que me são especiais, são as pessoas que se importam comigo e com a minha filha.

Como arrumar a bagunça em 30 dias Dia 12

Definitivamente, hoje é dia de cuidar do veículo, se você tiver um. Procure toda a sua documentação; resgate toda a papelada referente ao carro e coloque-a em uma pasta individualizada.Confira pagamento de IPVA, seguro e parcelas de financiamento. Veja se precisa tomar providências, fazer negociações.

Observe a data da revisão: se já tiver passado, agende-a o mais urgente possível. Se ainda não venceu a data, programe-se usando a sua agenda – amiga da qual não mais se separará após arrumar sua vida inteirinha.

Troca de óleo, balanceamento, alinhamento, checagem da bateria e dos fluidos, revisão e limpeza dos bicos injetores. Observe as paletas do pára-brisa.

Cheque a chaparia e reveja os arranhões, machucados, riscos e mossas. Faça um orçamento urgente de quanto ficam os reparos em ao menos duas oficinas e na concessionária. Se não tem dinheiro por agora, faça mesmo assim. Com noção exata do gasto e com os orçamentos em mãos, saberá negociar preço e também programar-se para breve. Não se esqueça de que é seu patrimônio o veículo e que é muito gostoso tê-lo em perfeito estado também.

Agende aquela lavagem maravilhosa com direito a polimento e tudo, incluindo a aspiração. A sensação é quase 70% da emoção do carro saído  da concessionária. Aqui, em Salvador, custa R$35,00. Se o orçamento anda muito apertado, programe um domingão inútil e lave-o você mesma. Vai ficar mortinha, mas queimará calorias, evitará sujá-lo depois (só pelo trabalho que dá limpá-lo) e também se sentirá a própria mulher maravilha, capaz de tudo.

Comece também com uma caixa grande: cate tudo que estiver dentro do veículo e armazene na caixa para depois encaminhar ao devido lugar. Vai se surpreender: material de trabalho, óculos esporte, tesoura, brinquedos das crianças, papéis avulsos, capas de cds, um pen drive esquecido, bolsa, documentos fora do lugar, canetas que não funcionam, capa do som – quase nunca usada e embaixo do banco (ponha no porta-luvas), caroço de fruta, moedas soltas, um sapato, uma havaiana, copo plástico, uma peça de roupa… tem de tudo em seu veículo! Acondicione cada coisa em seu lugar, por favor! É muito gostoso entrar no carro arrumadinho, é um bom cartão de visitas. E você nem se lembrava de que ele era quase novo…

Use escovinha ou mini aspirador – se não tiver um aspirador de pó tamanho família –  para tentar remover as sujeiras, garanto que dá um belo trabalho! Tire os tapetes, lave-os bem e deixe secar ao sol, não só com a flanela. Tapete molhado em locais úmidos – como Salvador – pode lhe ofertar uma chateação extra: um mau cheiro insuportável. Garanta a lavagem em um dia de sol, se for você mesma fazê-la.

Passe uma bucha comum embebida com veja nos estofados para remover qualquer mancha de milk shake ou similar . Se forem de couro os bancos, melhor! Uma flanela úmida basta. Limpe painel, porta-luvas, câmbio, reentrâncias do veículo apenas com pano molhado. É bastante eficiente e não mancha. Sabão de coco resolve as manchinhas mais persistentes. Não se esqueça de lavar as portas por dentro. Ficam uma maravilha limpinhas.

Remova adesisvos velhos, desbotados e esfregue uma bucha simples para retirar resíduos de cola. Outra atitude simples que renova o veículo.Ah, retire aqueles enfeites que ganhou de presente e nem têm tanto a ver assim com você. Troque por outros ou deixe seu carro mais clean.

A lavagem externa é mais simples, entretanto os pneus dão um trabalhão. Se você é como eu era e não consegue entender porque limpá-los , o argumento do meu amigo Raimundo vale: equivale a você sair de roupa nova e usar sapatos sujos. Desde aquela época, eu gosto de pneus limpos! Lembre-se da postura ecologicamente correta e não gaste água demais. Balde é mais recomendado que mangueira.Se usar a mangueira, aproveite para tomar um banho com ela: vai se sentir criança de novo! Se tiver crianças: convide-as para o programa de domingo. Elas vão sentir o que você sentiu ao lavar carro com seu pai, nos velhos tempos quando os lava-jato não imperavam.

Dá muito trabalho sim, se for feito por você. Já lavei carro, o meu primeiro. É muito louca a tarefa, mas uma delícia! Coisas de mulher que gosta de carro. O atual não foi tão queridinho assim, mas sempre deixo uma parte do orçamento para a lavagem. Quando estou muito apertada, organizo por dentro o veículo e depois procedo à sua arrumação e limpeza interna. Economizo 15 ou 20 reais. Em tempo de recessão, vale.

Organize os cds da semana ou no pen drive as músicas felizes que vão alegrar você: uma recompensa pelo trabalho extra. E saia dirigindo por aí: dona de si e de sua vida. Presenteie-se passeando por aquele lugar lindo por onde há algum tempo não passa: em Salvador, vale um passeio despreocupado pela orla.

Como arrumar a bagunça em 30 dias Dia 11

Hora de visitar os maleiros de seu armário. Já foi encontrar aquela peça legal do vestuário que você nem se lembrava que tinha? Já descobriu o bolor e o mofo na colcha que sua avó fez? Já viu a lista enorme de peças a enviar para a lavanderia? Já revisitou as fotos de sua mãe carregando-a no colo e sentiu uma saudade imeeensa? Teias de aranha? Mofo? Paninho úmido com pinho sol, aqui eu faço assim.

O caso não é limpar, que a gente sempre pode pagar a alguém para fazer ou mesmo realizar a tarefa com muito bom humor. O caso é selecionar o que manter mesmo.

Vai guardar seus álbuns do passado? Vai manter as fotos dos ex que já saíram para sempre de sua vida? Vai transformar tudo isto em arquivo oculto, arquivo morto  ou inexistente? Decisões tão enormes… que, geralmente, são adiadas infinitamente.

Arregace as mangas e mãos à obra! Vale a escada e um ajudante nesta hora. Pelo menos há o consolo de que, depois desta arrumação, você pode passar quase mais um ano sem encostar em nada disso. Maleiros são para ser esquecidos e inacessíveis mesmo. Coloque tudo para fora dele e rearrume após limpá-lo, setorizando as coisas: cada categoria em um lugar específico. Ponha as malas para tomar um solzinho e vá logo sonhando com a próxima viagem, afinal, você se lembra  de que sonhar atrai.

Por favor, lembre-se de dar vida às suas coisas. Há o que mereça sair das profundezas do armário e ganhar uma estante visível: aquele vaso de sua avó, o retrato da sua infância, os álbuns de fotografia… e há também o que deva ir ao lixo ou (a esta altura) ao conteiner de doações: roupas dos anos 80 que só voltarão à moda repaginadas, baby.

Tenha coragem. Sua meta de organizar-se agradece.

Como arrumar a bagunça em 30 dias Dia 10

Limpeza na despensa!

Descarte os alimentos vencidos. Não deixe de calcular mais ou menos o preço do que jogou fora para sentir quanto tem destinado do seu trabalho ao lixo. Sim, jogar qualquer coisa fora, significa que está perdendo seu dinheiro, gastando suas horas de trabalho.

Verifique o que há para comer em casa e só depois vá às compras.

Hora de organizar a lista de compras. Sim, faça isso, por amor ao seu bolso. Lembre-se de comer antes de fazer supermercado. De barriga cheia, a gente realmente compra menos e cede menos às tentações. No caixa, repasse a lista e tire, sim, do carrinho, os supérfluos que foi colocando ao longo das prateleiras. Porque você também merece, não tire todos. Escolha alguns e se presenteie.

Organize sua lista de compras de sempre – todo mundo tem a sua. Eu compro mais ou menos as mesmas coisas há mais de 10 anos. Coloque na lista todos os itens de que vai precisar e procure fazer compras mensais para não ir sempre ao mercado e gastar mais. Quanto à comida, o ideal é fazer compras semanais: você desperdiçará menos. Começo sempre pelo cardápio da semana. Escolho as refeições principais e depois os lanches e café da manhã e jantar. Calcule quantidades a partir do cardápio. Você verá como o exagero diminuirá. Quando já sei quantas saladas farei  mais ou menos,  não compro verduras nem folhas a mais.

Se, no mercado, houver promoções de ocasião, não vacile e mude o menu da semana para aproveitá-las.  Ao cozinhar, meça porções de acordo com a quantidade de pessoas que comerá. Faça em refratários as porções exatas. Cozinhe de uma vez porções maiores e congele o que for possível. Além de ter a famosa carta na manga se aparecer convidado surpresa, você também tem o que comer nos dias sem empregada ou naqueles em que a preguiça do fogão a invadir. Ah, e também naqueles noites de desespero em que bate a fome bem tarde.

Procure comprar tudo da semana para não ter que ficar indo ao mercado todo dia nem comprando em delicatessen ou padaria – que é sempre mais caro.

* * *

Aproveite o dia na cozinha para listar também o conserto dos eletrodomésticos e dos utensílios que faltam: um abridor de latas novo, o descascador de legumes, o fura cocos, o amolador de facas, o copo do liquidificador, o suporte para papel toalha quebrado, o moedor de pimenta, a banana da borracha da panela de pressão… coisas do gênero.

Como arrumar a bagunça em 30 dias Dia 9

Pasta de documentos organizada(minha tarefa número um ainda!): hora de resolver e agendar pendências. Constate os problemas: passaporte vencido, habilitação no prazo, identidade muito antiga, cpf antiquadíssimo(daquele amarelinho) ou pendente de regularização, carteira do plano de saúde perdida, carteira de trabalho cancelada por falta de espaço, plastificação solta, título rasgado, tarja magnética de cartões avariada., crachá da empresa ou escola danificado… e coisas do gênero. Não necessariamente desta forma, mas constatei (quase) todos estes probleminhas (eufemismo).

É um problemão cuidar de documentos!

Acredite: nunca lhe pedem, mas na hora em que algo não estiver em dia, você vai precisar! E, coisas do Brasil que me irritam, apenas O documento específico e malamanhado servirá. Não, de nada adianta você questionar que a habilitação tem todos os dados, que a CTPS vale como identidade, que o CPF se encontra até no talão de cheques! Não, não adianta. Há quem só aceite o dito cujo do documento que você não tem no momento.  Muita dor de cabeça!

* * *

Corri, finalmente, para o SAC e comecei a odisséia de 20 anos para resolver minhas pendências. Primeiramente, setor de informações, que eu não sou doida. Tim-tim-por-tim-tim a listinha do que seria necessário para renovar cada um dos documentos. Afinal, você não quer aumentar sua irritação indo e vindo infinitamente como as ondas do mar. Ah, e não se esqueça de saber quais as taxas! Geralmente, com um B.O.  sobre documentos roubados e perdidos, você consegue renová-los de graça.

Vá tirar as fotos necessárias aos documentos: lembre-se de dormir bem na véspera para suas olheiras não estarem frankensteinianas na foto que a acompanhará por muitos anos – e que será apresentada aos ouros! Irrite-se com o fato de ter que colocar o cabelo atrás das orelhas e tirar os brincos (!?!?!). Indigne-se, mas de nada adiantará: se você não obedecer aos ditames, a foto será devolvida pelo órgão responsável. Não, não deixe sua dor de cabeça virar enxaqueca.

Depois juro que conto o que estou passando.