Como cuidar sozinha de uma filha

Agora acho que esta será a minha próxima série. Eu fico realmente incomodada quando leio pessoas falando de como é bom e coisa e tal – como se fosse só a parte do paraíso esquecendo-se ou omitindo o padecer. Ah, tá. É bom, sim, mas as pessoas simplesmente se calam sobre as dificuldades? As dores nas costas? A exaustão ao fim do dia? A impossibilidade de fazer qualquer outra coisa? A dificuldade para cumprir tarefas simples? Para manter a casa arrumada? E dar atenção à filha?

O retorno de Alice

Hoje ela estava com a cara mais safadinha do mundo, um misto de maravilhamento e euforia. Parque, almoço fora e shopping (que me matou de cansaço). Chegamso em casa ambas quase mortas e dormimos juntas, abraçadinhas.

A dieta hoje ficou na cota, graças ao meu brócolis ninja, que me deu um surto de vontade de cozinhar e me fez surgir um caldinho delicioso, que eu chamei para Alice de sopa do amor. Tomamos juntas e ela, simplesmente, amou!

Depois me pediu o gagau e, lá pelas tantas, falou: mamãe, está delicioso esse gagau! Ao que eu lhe respondi: é o que mamãe faz, filha, é sempre com muito amor.

Tá. Ingressei definitivamente no clube das mães.