Outros ventos sopram,
outras brisas quero sentir
na calmaria entre tufões do existir.
Outros espaços se configuram,
novos projetos se delineiam
e os ânimos a alma incendeiam.

Soprar. Respirar. Inspirar.
Calma, lânguida e misteriosa
a rir dos destroços jocosa.

Pedaços, espaços, carcaças:
obsoletos.
Caminhos, desejos, vontades:
dialetos.

E lá vem ela, a brisa intentada.
Sopra, leve, bosquejando a história.
Capitanear é preciso.
Agora.

Anúncios

Um comentário sobre “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s